Monthly Archives: Julho 2010

Não, isto não é ser comunista

Já é o segundo banco que anuncia resultados positivos sustentados em devolução de impostos, mas com os resultados operacionais em decréscimo. Ou seja, os resultados que resultam da sua actividade natural dar-lhes-iam resultados negativos, mas depois veio o meu dinheiro deu-lhes o lucro.

Nada mau para quem ainda por cima paga sistematicamente menos impostos que eu.

Carlos Monteiro

1 Comentário

Filed under Post its

Finalmente

O PSD pretende rever o texto da Constituição. Finalmente um partido que dá ouvidos à voz do povo. Todos nós (o povo, claro) nos nossos empregos, nos nossos lares, no supermercado, no banco, em todo o lado, não nos paramos de perguntar “mas quando raio é que mudam a Constituição?”

CM

Deixe um comentário

Filed under Uncategorized

Sim, sim, acabou, acabou…

Não páram de me dizer que o dinheiro fácil acabou, que vivemos tempos de poupança, mas ainda hoje recebi um telefonema de uma senhora do cartão Jumbo que me prometia o dinheiro que eu quisesse, amanhã na minha conta. Ah, e aumentaram-me para um nível de gente rica o plafond do cartão de crédito, sem eu pedir.

Tanta preocupação com o endividamento e crédito mal-parado deveria começar com um controlo mais apertado destes intrujas financeiros que vendem dinheiro a preço de ouro. Falo em proibir tais taxas de juro (24% e 25%) E como os bancos não emprestam mesmo, adivinhem a quem é que as pessoas vão pedir?…

Hoje estou a dizer isto e muito provavelmente acham-me um comuna com a mania do Estado paternalista. Amanhã os mesmos que me chamam isto, atolados em gente pobre e cheia de dívidas, vai reclamar que «alguém devia ter agido a tempo. Falhas do supervisor!”.

Onde que já vimos isto?…

CM

1 Comentário

Filed under Uncategorized

Parvoíce

Há muito que deixei de comentar politiquice, mas hoje ouço a Assis, do PS, a acusar o PSD de “neoliberais-selvagens que querem acabar com o Estado social” devido à ameaça do PSD não apoiar as medidas do Governo que visem acabar (eventualmente…) com os benefícios fiscais ligados à saúde.

Então os protectores do Estado social, o PS (só para distinguir), querem acabar com todo e qualquer benefício fiscal ligado a despesas de saúde (eventualmente…), e os outros que querem mantê-los é que são os neoliberais-selvagens?

’tá tudo parvo e eu nem sei para quê que fui comentar politiquice. Olha, agora já está escrito.

CM

1 Comentário

Filed under Uncategorized

O Futebol

Por muitos anos que viva estou convicto que nunca voltarei a ver nada parecido com o “Escrete 1982”. Orientados pelo incomparável Tel-Santana, no mesmo 11 cabiam Leandro, Junior, Toninho Cerezo, Falcão, Sócrates, Zico e Eder. Não havia espaço para trincos, caceteiros ou carregadores de piano.

Simplesmente arte. Tão genial como a de Mozart ou Dali.

Não venceram. Azar do futebol que para muitos morreu nesse Mundial.

p.s. Num buraco bem fundo fechem os “Velhos do Restelo” do International Board juntamente com o Blatter e o Platini a visionarem este filme ininterruptamente até ganharem coragem para alterar as regras do jogo de modo a podermos voltar a deslumbrámos-nos.

Miguel Leal

Deixe um comentário

Filed under Uncategorized

Os novos campeões e eu

Há poucas coisas que me interessem tão pouco como ver uma corrida de Fórmula 1 onde pontuam os hamiltons, ou uma final do mundial entre a Espanha e a Holanda. Primeiro porque fui habituado a que finais dos mundiais tenham como intervenientes a Alemanha, o Brasil, a Argentina, a França, a Itália ou a Alemanha. E a Alemanha também. Por isso não encaro bem ver esta gente menor do futebol a ocupar uma final de uma campeonato do mundo.

Sim mereceram ir à final, sim, têm boas equipas(1), mas caramba, a emoção que sinto ao sabê-los na final é a mesma que me assalta antes do inicio da novela da TVI: vou mudar de canal.

CM

PS: a Argentina treinada por Deus e com o já mítico Messi, era candidata ao título e levou 4 na pá. Estes espanhóis vão à final por um tangencial 1 a 0. Diz bem sobre quem devia estar na final.

1 Comentário

Filed under Futebol

“sei lá e assim”

Há pouca gente tão interessante para ouvir como Miguel Esteves Cardoso. A originalidade mantém-se, mas agora, segundo o próprio, sente-se mais sábio. E poucos intelectuais têm a capacidade de se levar tão pouco a sério, o que no caso dele me parece genuíno. Dei com uma entrevista dele aqui. Vale a pena perder algum tempo.

CM

Deixe um comentário

Filed under Uncategorized