Monthly Archives: Setembro 2010

A racionalidade dos mercados

O mercado da especulação sobre a divida soberana assistiu esta quarta-feira a uma baixa ligeira das probabilidades de default (de incumprimento) de Portugal e da Irlanda.”

E tudo sem fazer nada, só com conversa!

CM

Deixe um comentário

Filed under Post its

No pasaran?….

Claro que passam! Se o outro mandou o ajudante fazer o discurso é porque passam.

cm

Deixe um comentário

Filed under Uncategorized

OE 2011?

Deixe um comentário

Filed under Uncategorized

Um homem sério e rigoroso

O ministro Teixeira dos Santos é daquelas personagens que todos são unânimes em dizer que “é um homem sério e rigoroso”. O facto de não controlar a despesa como prometeu no PEC2, o facto de ter deixado acontecer aumentos de ordenados em campanha eleitoral, dimunuição de preços de medicamentos em campanha eleitoral, nao se pronunciar sobre o isenção de pagamento de imposto pela PT na venda da Vivo, de permitir aumentos de despesa corrente (vulgo “agrafos”… e talvez quem sabe, automóveis!), de carregar sempre com mais impostos os mesmos de sempre apesar de dizer que os que cobra eram suficientes para tirar Portugal da crise, de não se pronunciar uma única vez sobre as promessas despesitas do seu colega das obras públicas, de fechar os olhos e ficar mudo a tantas e tantas situações só explicáveis, como direi… judicialmente !, o facto de isto, e muito mais, fazer com que se fosse eu a ser ministro das finanças seria apedrejado na rua, curiosamente não contribui para a perda da qualidade de imagem de tão bondosa e simpática figura! É curioso!  Oral olhemos para a foto…

Umas pessoas têm o tal toque, e outras não. É o que é.

CM

Deixe um comentário

Filed under Post its

Duas notas políticas

Poprque são incontornáveis:

– A revelação da TVI hoje, de que o Governo se preparava para descaradamente embarretar os portugueses sobre os custos do TGV deveria fazer cair todo o executivo. Pelo menos o Ministro das Finanças: por dignidade, se não sabia e estava a ser enganado, por vergonha, se sabia e nos anda a pedir sacrifícios que não exige ao Estado. A gravidade desta revelação é tal que é para mim estranho que isto não seja uma bomba atómica política e amanhã tenhamos um país diferente. Surpreendente este povo…

– O Presidente apela a que este país se vire para o Mar, depois de ele próprio, enquanto PM, ter passado mais de uma década a desmantelar toda a relação que tínhamos com esse mesmo Mar que agora lhe merece este carinho.

CM

Deixe um comentário

Filed under Uncategorized

Portugueses Pelo Mundo

Começo por dizer que sou um péssimo espectador de televisão. Tanto no tempo que lhe dedico como na atenção que lhe presto. Melhor dizendo raramente a ligo. E tenho até para mim que existe uma maioria silenciosa que simplesmente deixou de ver a denominada “TV Generalista”. Por isso foi com surpresa que um destes dias de sorte descobri “Portugueses Pelo Mundo” no canal 1 da RTP. Trata-se de um programa que nos transporta para uma cidade no estrangeiro com o propósito de nos mostrar a Vida que nela existe através da experiência de vida de 4 portugueses que lá trabalham. Tudo isto em apenas 30 minutos, num ritmo e montagem perfeitos sem recurso a qualquer apresentador “Miss ou Mr beldade da moda” narrado pela voz de quem interessa ouvir. Simplesmente perfeito. Aos Sábdados às 21h na RTP 1 encontrei razões para voltar a ligar a televisão.

ML

Deixe um comentário

Filed under Televisão Series

SEM COMENTÁRIOS

BOCA DO INFERNO

Ricardo Araujo Pereira

Quinta feira, 26 de Ago de 2010 in Visão

A ciganice de Sarkozy

Todos sabíamos do papel que os ciganos desempenharam no descalabro financeiro mundial. O conselho de administração do banco Lehman Brothers era integralmente constituído por ciganos. A crise económica que o mundo vive é complexa, e não é fácil apontar com exatidão o momento em que terá principiado, mas o governo francês já identificou os seus responsáveis: são os ciganos. A descoberta não terá apanhado ninguém de surpresa. A bem dizer, todos sabíamos do papel que os ciganos desempenharam no descalabro financeiro norte-americano e, subsequentemente, mundial. O conselho de administração do banco de investimento Lehman Brothers era integralmente constituído por ciganos. Uma das razões da falência do banco foi, aliás, o facto de os seus administradores só pegarem ao serviço à tarde. De manhã estavam na feira, a vender T-shirts de contrafação. Bernard Madoff, cuja tez morena é bem reveladora de ascendência cigana, confessou ter planeado o seu esquema fraudulento ao som dos Gipsy Kings. E subprime é um termo do dialeto cigano que significa “ai, Lelo, vamos conceder empréstimos imobiliários de alto risco até provocar a insolvência de três ou quatro grandes instituições financeiras”. Ninguém sabe bem a razão pela qual os gregos elegeram um governo de ciganos, mas o facto é que eles estão lá, a fazer crescer a dívida externa e a arrastar a Europa para a falência. E Sócrates, não sendo cigano, é, no entender de muitos, um ciganão. Creio que é óbvio para toda a gente que a crise económica é mundial precisamente porque os ciganos, sendo nómadas, conseguiram levá-la a todo o lado. É mais do que natural e justo que o governo francês tenha perdido a paciência com os prejuízos que esta etnia tradicionalmente ligada à alta finança tem provocado e, por isso, como costuma suceder em França com os estrangeiros que não têm categoria suficiente para representar a seleção francesa de futebol, os ciganos foram recambiados para o seu país de origem. País esse que, neste caso, é a Roménia – que faz parte da União Europeia. É azar: os ciganos, que são um povo sem fronteiras, têm algumas dificuldades para circular na Europa sem fronteiras. Ainda assim, um povo tão habituado a ler a sina deveria ter adivinhado que isto da livre circulação de pessoas iria ser prejudicial para quem é nómada. Era mais que óbvio. Não ignoro que a medida de Sarkozy tem sido criticada, mas apenas pelos radicais de esquerda do costume. Como o Papa. A verdade é que os ciganos só trazem problemas. Recordo que o cigano mais famoso de sempre era estrela de cinema. Chamava-se Charlie Chaplin. Se bem me lembro, era raro o filme em que ele não arranjava problemas com a polícia. Aquilo está-lhes no sangue.

ML

Deixe um comentário

Filed under Uncategorized